Inteligencia Espiritual

No livro QS – Inteligência Espiritual, lançado no ano passado, a fí­sica e filósofa americana Dana Zohar aborda um tema tão novo quanto polémico: a existência de um terceiro tipo de inteligência que aumenta os horizontes das pessoas, torna-as mais criativas e se manifesta em sua necessidade de encontrar um significado para a vida. Ela baseia seu trabalho sobre Quociente Espiritual (QS) em pesquisas só há pouco divulgadas de cientistas de várias partes do mundo que descobriram o que está sendo chamado “Ponto de Deus” no cérebro, uma área que seria responsável pelas experiências espirituais das pessoas. O assunto é tão atual que foi abordado em recentes reportagens de capa pelas revistas americanas Neewsweek e Fortune. Afirma Dana: “A inteligência espiritual coletiva é baixa na sociedade moderna. Vivemos numa cultura espiritualmente estúpida, mas podemos agir para elevar nosso quociente espiritual”.

Aos 57 anos, Dana vive em Inglaterra com o marido, o psiquiatra Ian Marshall, co-autor do livro, e com dois filhos adolescentes. Formada em fí­sica pela Universidade de Harvard, com pós-graduação no Massachusetts Institute of Tecnology (MIT), ela atualmente leciona na universidade inglesa de Oxford. É autora de outros oito livros, entre eles, O Ser Quântico e A Sociedade Quântica, já traduzidos para português. QS – Inteligência Espiritual já foi editado em 27 idiomas, incluindo o português (no Brasil, pela Record). Dana tem sido procurada por grandes companhias interessadas em desenvolver o quociente espiritual de seus funcionários e dar mais sentido ao seu trabalho. Ela falou à EXAME em Porto Alegre durante o 300º Congresso Mundial de Treinamento e Desenvolvimento da International Federation of Training and Development Organization (IFTDO), organização fundada na Suécia, em 1971, que representa 1 milhão de especialistas em treinamento em todo o mundo. Eis os principais trechos da entrevista:

O que é inteligência espiritual?

É uma terceira inteligência, que coloca nossos atos e experiências num contexto mais amplo de sentido e valor, tornando-os mais efetivos. Ter alto quociente espiritual (QS) implica ser capaz de usar o espiritual para ter uma vida mais rica e mais cheia de sentido, adequado senso de finalidade e direcção pessoal. O QS aumenta nossos horizontes e nos torna mais criativos. É uma inteligência que nos impulsiona. É com ela que abordamos e solucionamos problemas de sentido e valor. O QS está ligado à  necessidade humana de ter propósito na vida. É ele que usamos para desenvolver valores éticos e crenças que vão nortear nossas

acções.

De que modo essas pesquisas confirmam suas ideias sobre a terceira inteligência?

Os cientistas descobriram que temos um “Ponto de Deus” no cérebro, uma área nos lobos temporais que nos faz buscar um significado e valores para nossas vidas. É uma área ligada à experência espiritual. Tudo que influência a inteligência passa pelo cérebro e seus prolongamentos neurais. Um tipo de organização neural permite ao homem realizar um pensamento racional, lógico. Dá a ele seu QI, ou inteligência intelectual. Outro tipo permite realizar o pensamento associativo, afectado por hábitos, reconhecedor de padrões, emotivo. É o responsável pelo QE, ou inteligência emocional. Um terceiro tipo permite o
pensamento criativo, capaz de insights, formulador e revogador de regras. É o pensamento com que se formulam e se transformam os tipos anteriores de pensamento. Esse tipo lhe dá o QS, ou inteligência espiritual.

Qual a diferença entre QE e QS?

É o poder transformador. A inteligência emocional me permite julgar em que situação eu me encontro e me comportar apropriadamente dentro dos limites da situação. A inteligência espiritual me permite perguntar se quero estar nessa situação particular. Implica trabalhar com os limites da situação. Daniel Goleman, o teórico do Quociente Emocional, fala das emoções. Inteligência espiritual fala da alma. O quociente espiritual tem a ver com o que algo significa para mim, e não apenas como as coisas afectam minha emoção e como eu reajo a isso. A espiritualidade sempre esteve presente na história da humanidade.

No iní­cio do século 20, o QI era a medida definitiva da inteligência humana. Só em meados da década de 90, a descoberta da inteligência emocional mostrou que não bastava o sujeito ser um génio se não soubesse lidar com as emoções. A ciência começa o novo milénio com descobertas que apontam para um terceiro quociente, o da inteligência espiritual. Ela nos ajudaria a lidar com questões essenciais e pode ser a chave para uma nova era no mundo dos negócios.

Dana Zohar identificou dez qualidades comuns às pessoas espiritualmente inteligentes. Segundo ela, essas pessoas:

1. Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo

2. São levadas por valores. São idealistas

3. Têm capacidade de encarar e utilizar a adversidade

4. São holísticas

5. Celebram a diversidade

6. Têm independência

7. Perguntam sempre “por quê?”

8. Têm capacidade de colocar as coisas num contexto mais amplo

9. Têm espontaneidade

10.Têm compaixão

Concurso da CEB

Concursandos de Brasília (e demais localidades do País): estão abertas inscrições para a Companhia Energética de Brasília (CEB). Para psicólogos o edital  diz haver apenas uma vaga, além de 29 vagas em cadastro reserva. Nunca vi edital de concurso prevendo número fixo de vagas para cadastro reserva. Acredito que, na realidade, a empresa esteja se prevenindo da obrigação legal de convocar aprovados em concurso. Mas, em havendo demanda, irá recorrer aos bem classificados nessa seleção. Assim, suponho que o número real de vagas seja maior do que uma. A seleção será realizada pela Funiversa. Leia o EDITAL.

Saúde púlbica no DF é negligenciada

“O Ministério Público da União (MPU) enviou nesta quarta-feira (30.09.09) uma representação ao Tribunal de Contas da União (TCU) para investigar os indícios de irregularidades na Secretaria de Saúde do Distrito Federal. A representação foi baseada em denúncia feita pela bancada do PT no MPU no início deste ano. No documento ao tribunal, o procurador Marinus Eduardo De Vries Marsico afirma que uma análise preliminar na documentação entregue ao Ministério Público apontou indícios de possível utilização irregular de recursos federais na gestão da Saúde no DF. Mas como a competência para apuração seria do tribunal, repassou o caso aos ministros do TCU.”

Fonte: Blog da Paola Lima.

A situação está pra lá de grave e não  é apenas emm hospitais ou psotos de saúde: desde que se encerrou contrato do GGDF com instituições que administravam Ciago e Cesame, no atendimento a menores infratores, adolescentes em situação de risco social estão largados à própria sorte. O GDF não se dispõe a contratar psicólogos nem assistentes sociais para essas isntituições, apesar de já ter no seu banco de dados, no RH, aprovados em concurso público para diversas funções. Faltam psicólogos também nas escolas públicas. No DF, a  demanda por profissionais de psicologia na educação (senor gestor, favor não confundir trabalho de psicólogo com o de psicopedagogo!) é enorme e antiga!

A alegação para o descaso é sempre falta de recursos, mas esse argumento não é verdadeiro nem convincente.