Gentileza

A palavra gentileza deu origem ao termo inglês gentleman, que
significa cavalheiro, homem gentil. É também a raiz da noção latina da palavra gentilis (aquele que pertence a uma família). Portanto, ser gentil é algo que surge de um movimento interno, da predisposição para o bem, reforçada pela influência externa, em geral da família. Ser gentil depende do conhecimento, da boa educação que promova uma constante transformação interior; mas também se manifesta como impulso natural e espontâneo de pessoas simples, generosas e sábias. Viver em grupo, co-habitar espaços exige docilidade da alma, exige boa vontade,
gentilezas. As pessoas gentis, ainda que não percebam isso, demonstram preocupação com a felicidade do outro, anseiam por um ambiente coletivo de bem-estar. A gentileza está por trás do grande ensinamento de Jesus Cristo, presente também em outras grandes expressões filosóficas de inspiração divina: “não faça ao outro o que não gostaria que lhe fizessem” ou, em outras palavras: faça aos outros o que desejar que seja feito a você. “Gentileza” é também o título do livro  de Gabriel  Chalita. Na descrição da editora Gente, o livro “é um convite para que a poesia das palavras se transforme na poesia da ação.” O próprio autor comenta sua obra na seguinte descrição: “Foi pensando na importância da delicadeza nos relacionamentos e em como essa postura estimula o bem-viver e a felicidade entre as pessoas que escrevi o livro Gentileza.”
Postado por Carmelita Rodrigues, em 29.06.08

Anúncios