Rui Barbosa: sobre a impunidade

A verdadeira sabedoria é mesmo eterna. Veja o que disse Rui Barbosa muitas décadas atrás. Repare em como parece referir-se ao atual momento político no Brasil, de modo particular em Brasília: “De tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra a ter vergonha de ser honesto”.



Sobre ganhar dinheiro com blog

Agradeço ao visitantes que compram da Submarino por intermédio do meu blog. Isso me rende pequenas comissões que não deixam de funcionar como recompensa, embora não seja esse o objetivo principal do site.  É reconfortante saber que as pessoas confiam na idoneidade do blog. A empresa Submarino é correta, confiável e eficiente, tanto no atendimento aos compradores quanto em repassar os valores referentes a comissões aos seus afiliados.  Meu blog vende mais livros do que qualquer outro produto. Para livros, a comissão que me repassam é de 8%.  Já vendi também eletrônicos, cuja comissão é  de 2%, e perfumes, que me rendem 4% de comissão.  Até o momento não fui informada de nenhum descontentamento por parte de quem comprou via PSICOPAUTA. Até porque a responsabilidade de entrega é da Submarino que, repito, é empresa séria. Sou afiliada Submarino há mais de dois anos e nesse intervalo não consegui totalizar ganhos monetários que cheguem a R$ 500,00.  Em contrapartida, o blog me proporciona outras compensações, incluindo a de funcionar como vitrine do meu trabalho de psicoterapeuta e, a principal razão de ele existir: ser  um canal de expressão das minhas idéias e dos meus conhecimentos. Gosto de pesquisar e escrever; desenvolvi essa habilidade com o trabalho de jornalista e é bom ter um espaço autônomo para dar vazão aos meus anseios de “disseminadora de informações” ou “educadora informal”. Agradeço todo apoio que recebo de internautas, das mais variadas formas: elogios, críticas, interatividade e comissões por vendas.


Agradeço ao visitantes que compram da Submarino por intermédio do meu blog. Isso me rende pequenas comissões que não deixam de funcionar como recompensa, embora não seja esse o objetivo principal do site.  Éé reconfortante saber que as pessoas confiam na idoneidade do blog. A empresa Submarino é correta, confiável e eficiente, tanto no atendimento aos compradores quanto em repassar os valores referentes a comissões aos seus afiliados.  Meu blog vende mais livros do que qualquer outro produto. Para livros, a comissão que me repassam é de 8%.  Já vendi também eletrônicos, cuja comissão é  de 2%, e perfumes, que me rendem 4% de comissão.  Até o momento não fui informada de nenhum descontentamento por parte de quem comprou via PSICOPAUTA. Até porque a responsabilidade de entrega é da Submarino que, repito, é empresa séria. Sou afiliada Submarino há mais de dois anos e nesse intervalo não consegui totalizar ganhos monetários que cheguem a R$ 500,00.  Em contrapartida, me proporciona outras compensações, incluindo a de funcionar como vitrine do meu trabalho de psicoterapeuta e a principal razão de ele existir: ser  um canal de expressão das minhas idéias e dos meus conhecimentos. Gosto de pesquisar e escrever; desenvolvi essa habilidade com o trabalho de jornalista e é bom ter um espaço autônomo para dar vazão aos meus anseios de “disseminadora de informações” ou “educadora informal”. Agradeço todo apoio que recebo de internautas, das mais variadas formas: elogios, interatividade e comissões de vendas.

Síndrome do Cólon Irritável tem cura

Síndrome do Cólon Irritável tem cura. Afirmo isso com base em experiência prática. Hoje, eu e uma de minhas pacientes rimos juntas do prognóstico desastroso que outra psicóloga havia dado sobre o caso dela, usando as seguintes palavras: “esse seu problema não tem cura; mas você pode aprender a conviver com ele. E você pode se tranqüilizar lembrando-se de que em qualquer lugar que você vá, haverá sempre um banheiro”. Ontem gargalhamos disso quando eu lhe perguntei meio que debochando (confesso!): “quem pode ficar bem estando sempre de piriri?” E comemoramos o fato de ela ter errado. Mas na época, para minha paciente ( a quem chamarei de N.) aquela sentença desastrosa soou como de morte, fim da esperança de ter novamente vida normal; causou-lhe imenso desespero na alma. Foi, então, que decidiu procurar uma psiquiatra indicada pelo gastroenterologista, convencida por ele do fator emocional envolvido nessa Síndrome. A psiquiatra, por sua vez,  tinha meu contato e a encaminhou para psicoterapia, avisando-a, sabiamente, de que só com remédios ela não se livraria do transtorno.

Começamos a psicoterapia em janeiro de 2009. Hoje, apenas um ano e um mês depois, ela entrou no consultório radiante, maquiada com bom gosto, com roupas joviais e elegantes, olhos brilhantes e um sorriso iluminado. Estava tão feliz!  Havia engordado uns quilinhos, o que era um “sonho” desejado nos últimos anos, depois de ter chegado a pesar 43 quilos (ela tem 1,60 de altura). Fazia quatro anos que só emagrecia, impedida de comer muitas coisas e de tanto se esvair em diarréias freqüentes. Peregrinou por consultórios e laboratórios, fez todo tipo de exames, alguns muito invasivos e dolorosos, quase tendo o intestino perfurado num exame de colonoscopia .   Até os médicos chegarem ao diagnóstico de Síndrome do Cólon Irritável ela viveu autêntica “via crucis”.

Agora, no entanto, tudo é passado. Ela está sem tomar o Lexapro e o Rovotril;  completamente livre dos medicamentos e dos sintomas desde dezembro passado. A psiquiatra também comemorou com ela o sucesso do tratamento. Relembramos momentos significantes da terapia, a elaboração de experiências dolorosas, o trabalho frente a traumas relembrados, a construção de novos paradigmas, enfim, da caminhada com empenho e dedicação no caminho da construção de uma nova pessoa, mais consciente de quem realmente é, dos próprios limites e de suas habilidades. Eu a fiz ver a importância do empenho dela, da coragem e força que a fizeram ter efetivamente entrado em terapia, para que obtivéssemos o sucesso alcançado. Claro que o adoecer teve função construtiva, como sempre ocorre, mas somente agora era possível rir de tudo, passada a dor, elaborados os temores e curadas as feridas (e o maldito piriri!) Em breve ela estará liberada também da terapia.

Pedi permissão a N.  para escrever neste blog, em linhas gerais e sem identificá-la, sobre o caso dela para que outras pessoas hoje com Síndrome do Cólon Irritável não se desesperem: tem cura! Ela adorou a idéia e disse que se ela própria não tivesse fugido da terapia por tanto tempo, teria sofrido bem menos. Também foi importante o trabalho eficiente da psiquiatra, que prescreveu os remédios certos e foi também ponto de apoio confiável.

Entre as causas psicogências do transtorno estão experiências traumáticas reprimidas, incapacidade de se colocar, de fazer valer a própria vontade, em expressar-se de modo autêntico; em Gestalt-terapia chama-se isso  de “engolir sem mastigar” muitas coisas. Do ponto de vista da Psicologia Analítica, envolve complexos constelados e viver “tomada por uma persona”, entre outros aspectos que vou abster-me de detalhar em respeito ao sigilo profissional e anonimato da minha paciente.

Horário de Verão termina no próximo domingo

O horário de verão no Brasil termina à zero hora do próximo domingo, dia 21de fevereiro de 2010. Os relógios dos moradores das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão atrasar os relógios em uma hora.  Foi decretado em outubro de 2009, quando o governo estimou que haveria economia de 5% de energia. A partir deste ano, por força de um decreto presidencial, ficou determinado que o horário alterado vai começar sempre no terceiro domingo de outubro e terminar sempre no terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte. O Horário de Verão foi criado nos Estados Unidos com a intenção de que fosse aproveitada a luz natural durante os dias mais longos do ano. No Brasil foi adotado pela primeira vez em 1931/1932. Segundo informações da Aneel, até 1967 era decretado esporadicamente e sem critério científico apurado. Depois ficou 18 anos suspenso e só voltou no verão de 1985/1986, quando houve baixa nos reservatórios das hidrelétricas e tornou-se necessário racionar energia. Países da União Europeia também recorrem a essa mudança na hora legal para aproveitar a maior luminosidade no período primavera-verão, como também os Estados Unidos, o Canadá e a Rússia. Do ponto de vista psicológico o Horário de Verão tem aspectos positivos e negativos, sendo bem-vindo para alguns e rejeitado por outras pessoas, conforme as circunstâncias de vida. Apesar das divergências de opinião, de modo particular considero agradável sair do trabalho e ainda ser alcançada por raios solares no fim do dia. Mas entendo que para alguns é desagradável pegar um ônibus quando ainda está escuro. De tudo, no entanto, é recomendável que se tente enxergar os aspectos positivos, como no Jogo da Pollyanna, em vez de azedar o dia com sentimento de revolta e ira. Essas emoções em nada colaboram. Aceitar o que não se pode mudar é atitude de sabedoria. Até porque, não vai durar para sempre, nem o período de Horário de Verão nem as privações de vida, se a pessoa tomar o leme da existência nas próprias mãos e  lutar para melhorar de vida. Em tudo há desafios que dão sentido ao viver. A propósito, o livro Pollyana, de Eleanor H. Porter, um clássico que já li seis vezes, é vendido pela Submarino via Internet. Como ainda tenho Complexo de Salvador, sendo trabalhado em terapia, em todas as vezes chorei horrores! Admito que invejo essa escritora: quantos de nós não gostaria de ter escrito esse livro tão especial?!

Concurso da Sejus tem vagas para psicólogos

A Sejus,  Secretaria de Justiça do GDF, vai contratar psicólogos para atender adolescentes do Distrito Federal em situação de risco social atendidos no Caje e no Ciago. São 30 vagas para contratação imediata e outras 70 para cadastro reserva. O salário é de R$ 3.125 para 40 horas semanais. As inscrições podem ser feitas até o dia 03 de março, mediante pagamento da taxa de R$ 75 reais. A data provável da prova objetiva é 11 de abril próximo (11.04.2010). Haverá questões de Português, Atualidades, Noções de Direito Administrativo, Noções de Direito Constitucional, Lei Orgânica do DF e Conhecimentos Específicos de Psicologia.  HAverá também uma ettapa eleiminatórira de avaliação psicológica, para serem eliminados candidatos que não tenhamperfil psicológico pra lidar com adolescentes internaados em isntituições de recuperação de menores.  Os 130 primeiros colocados terão suas vidas  avaliadas (avaliação de vida preguessa). A intenção, imagina-se, é impedir que indivíduos com histórico de criminalidade atuem nessas isntituições, atrapalhando os esforços de orientação dos menores.  Outras informações, incluindo conteúdo programático de cada prova, pode ser visto no EDITAL.

Há vagas também para ASSISTENTES SOCIAIS e uma seleção para nível médio, ASSISTENTE DE REINTEGRAÇÃO SOCIAL.

Lições de Vida

A criança que vive com o ridículo aprende a ser tímida;

a criança que vive com a crítica aprende a condenar;

a criança que vive com suspeita aprende a ser falsa;

a criança que vive com antagonismos aprende a ser hostil;

a criança que vive com afeição aprende a amar;

a criança que vive com estímulo aprende a confiar;

a criança que vive com a verdade aprende a ser justa;

a criança que vive com o elogio aprende a dar valor;

a criança que vive com generosidade aprende a repartir;

a criança que vive com saber aprende a conhecer;

a criança que vive com paciência aprende a tolerância;

a criança que vive com felicidade conhecerá o amor e a beleza.

Ronaldo Russell

Professores do DF estão doentes

“Pesquisa realizada pela Universidade de Brasília revela que os professores da rede pública DF estão cansados, doentes e trabalhando demais, inclusive para suprir deficiências da merenda escolar. Estudo feito em uma escola-classe de ensino fundamental (1ª a 4ª série) na Asa Norte mostra que o trabalho intensificado pelas mudanças no comportamento da sociedade e as políticas públicas ineficientes prejudicam a saúde dos professores.“

O estudo, da pedagoga Sandra Jaqueline Barbosa, confirma o que já se desconfiava: os pais estão transferindo para a escola o papel de educar seus filhos e as instituições não estão prontas para isso. “A famosa educação que vem de berço, não é mais o pai ou a mãe que dão, agora é função das escolas. Os pais estão mais preocupados em suprir necessidades materiais e acabam trabalhando muito”, explica a pedagoga.

O Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro/DF) tem recebido muita solicitação de ajuda para questões ligadas à saúde. “Os professores estão apresentando sofrimentos psíquicos pela intensificação do trabalho”, explica a pesquisadora. Um dos diretores do Sinpro/DF, Ilson Bernardo conta que a demanda cresceu. “Tivemos que abrir um espaço para atender a saúde porque os casos extrapolam o que poderíamos considerar razoável”.

Leia matéria completa.