Sonho com heróis e o complexo de Salvador

“O sonho é um fenômeno normal e natural e não significa outra coisa além do que existe dentro dele. O Talmud diz: ‘o sonho é a sua própria interpretação’. A confusão nasce do fato de serem simbólicos os seus conteúdos e, portanto, oferecerem mais de uma explicação. (…). Nenhum símbolo onírico pode ser separado da pessoa que o sonhou, assim como não existem interpretações definidas e específicas para qualquer sonho. (…) No entanto, há muitos símbolos cuja natureza e origem não é individual, mas sim coletiva.” (Jung, 1977, pág.51).

Sobretudo os de imagens arquetípicas; entenda-se arquétipo como uma tendência para formar representações de um mesmo motivo – representações que podem ter inúmeras variações de detalhes – sem perder a sua configuração original. De acordo com Carl Jung , o arquétipo é, na realidade, uma tendência instintiva,  algo semelhante ao impulso das aves para fazer seu ninho ou o das formigas para se organizarem em colônias.

Um sonho recorrente com heróis ou super-heróis pode estar relacionado à existência de um Complexo de Salvador. Essa hipótese ganha força se o sonhador tiver histórico de sofrimento na infância ou vivido uma situação de dor extrema que o tenha levado a desenvolver o desejo de evitar  sofrimento similar nos outros. Esse impulso arquetípico inconsciente  o faria sentir e se comportar de modo sempre voltado para a evitação do sofrimento  nos outros,  muitas vezes negligenciando os cuidados com as próprias necessidades e as demandas pessoais mais autênticas. Nesse ponto reside o que há de patológico e disfuncional em “ ajudar o outro”. O sonho seria, nesses casos, um apelo do Inconsciente para que a pessoa perceba isso e passe a cuidar mais de si, a fim de evitar  que ela tenha o mesmo fim que tem todo herói: a morte  no final (ainda que seja apenas morte simbólica). Aumentar a compreensão disso, buscar as associações que  confirmem ou não uma dinâmica de Complexo de Salvador  é algo que  se faz em psicoterapia de base analítica, recorrendo-se às técnicas  de “trabalho com sonhos”.

Bibliografia de referência:  Jung, Carl G. O Homem e seus Sonhos. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1977

Escrevi anteriormente sobre sonhos recorrentes no post

https://psicopauta.wordpress.com/2010/10/15/sonhos-recorrentes/#comment-2532

Anúncios