Rivotril é a segunda droga mais vendida no Brasil: os perigos disso

No Brasil, Rivotril é o segundo medicamento mais vendido;  mesmo sendo um remédio  tarja preta. É um tranquilizantes, prescrito em variadas queixas psiquiátricas, como Síndrome do Pânico e outras manifestações de ansiedade. O problema está no fato de que ele pode causar graves efeitos colaterais e causar dependência quando for usado por muito tempo. Além disso, medicar determinadas manifestações de sofrimento psíquico sem o devido cuidado ou esclarecimento de que o remédio irá apenas amenizar os sintomas, mas não resolver o problema, acaba por camuflar uma real necessidade de enfrentamento efetivo das questões subjacentes à patologia.

Algumas pessoas refugiam-se em remédios e desperdiçam toda uma vida sem conseguir elaborar questões de fundo emocional, de ordem psicológica, cuja compreensão e enfrentamento promoveria crescimento pessoal no sentido amplo.  “Quando indicado segundo os melhores critérios, o Rivotril pode ser bastante útil no tratamento da ansiedade generalizada. O paciente vive angustiado, preocupado, nervoso. Dorme mal, não se concentra e se irrita por qualquer coisa. Sozinho, no entanto, o remédio não resolve o problema. O tratamento depende também do uso de outros recursos, como antidepressivos, psicoterapia e atividade física. O mesmo vale para o tratamento de outros transtornos, como síndrome do pânico, fobias e transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)”, alerta o médico Paulo Maciel, no site profissional dele.

Outro importante alerta contra as prescrições e uso indiscriminado do remédio: “Rivotril não deve ser remédio de uso contínuo. Deve ser reservado para as crises agudas e usado por no máximo seis semanas”, diz o psiquiatra Joel Rennó Jr., coordenador do Projeto de Saúde Mental da Mulher do Hospital das Clínicas, em São Paulo.

O que está por trás desse largo consumo do Rivotril no Brasil? O  médico Paulo Maciel publicou no site dele esclarecedora reportagem sobre o assunto. Leia o texto completo no link abaixo: http://drpaulomaciel.com.br/rivotril-a-segunda-droga-mais-vendida-no-brasil/

Em 2011, este blog já alertava para os riscos do uso indiscriminado do Rivotril.  Em  “comentários”, o post reúne importantes depoimentos  de pessoas que conhecem esse remédio, inclusive apresentando argumentos contra e a favor. Mas os relatos de malefícios são muito mais numerosos e bastante preocupantes.

Cuidado com o Rivotril“:  https://psicopauta.wordpress.com/2011/02/02/cuidado-com-o-rivotril/

Alquimia no contexto terapêutico

“Os aspectos físicos e estáticos da personalidade não admitem mudanças. Eles são estabelecidos e têm certeza de seu caráter justo. Para a transformação ocorrer, esses aspectos devem primeiro ser dissolvidos ou reduzidos à prima matéria. Fazemos isso por meio do processo analítico, que examina os produtos do inconsciente e coloca em questão as atitudes estabelecidas.” Trecho do livro Anatomia da Psique, de Edward Edinger.

É sobre esse paralelo entre psicoterapia e alquimia que o professor Moacir Rodrigues irá falar na palestra do próximo dia 24, na UnB.   

SERVIÇO:

Palestra do professor MOACIR RODRIGUES, psicólogo clínico, psicanalista, analista junguiano, fundador, presidente e didata do Instituo Aion.Evento gratuito e aberto a todos os interessados. 

Tema: PSICOLOGIA E ALQUIMIA.
Local: UnB, ICC Sul, auditório AT-141.
Data: 24/10/13
Horário: 10 horas