Dá pra fazer psicoterapia pela internet?

Sim, é possível fazer psicoterapia pela internet, mas o serviço ainda não é permitido no Brasil. O Conselho Federal de Psicologia (CFP), autarquia que regula o trabalho dos psicólogos brasileiros, ainda não regulamentou o serviço, que já existe legalmente em outros países.  Atualmente no Brasil são permitidos apenas alguns serviços psicológicos pela  web, como orientação psicológica (limitada a 20 atendimentos),  processos de seleção de pessoal, supervisão para psicólogos, entre outros, conforme consta na  Resolução 011/2012.  Mas a psicoterapia, ainda não.  E o CFP tem lá suas razões para ser tão cauteloso! Por exemplo: aqui é a Terra da Impunidade; as leis no Brasil são desrespeitadas sob a chancela de  uma incrível e generalizada frouxidão moral;  e os transgressores  da Lei raramente são punidos. Exatamente o contrário do que ocorre em outros países onde a psicoterapia online é praticada, como Canadá e Estados Unidos, mas também onde as pessoas temem errar e causar danos a terceiros antevendo risco real de punições duras. Considerando-se a  concreta possibilidade de uma intervenção psicológica infeliz causar sérios prejuízos ao psiquismo de uma pessoa,  fazer psicoterapia pela internet é algo que exige cuidados – e nem estou destacando o risco de quebra de confidencialidade, que  pode ser considerada uma desvantagem, mas não o maior dos problemas.

Recentemente lançado no mercado, o aplicativo Fala Freud promete “Terapia online para quem não tem tempo para terapia – qualquer hora do dia ou da noite, direto do seu smartphone”. Só essa frase introdutória faz tremer qualquer conhecedor do assunto. Isso porque a mensagem inicial do site contém dois erros graves:  induzir os internautas ao erro de achar que farão psicoterapia pela internet e confundir os conceitos de “terapia” e “psicoterapia”. Aliás, omitir a diferença entre os significados dos dois termos pode até ser proposital, já que dificilmente os responsáveis pelo aplicativo ignoram a normatização do CFP sobre a interface psicologia e internet. Em nome da ética, da honestidade e em respeito à saúde mental/emocional das pessoas, caberia deixar as coisas muito claras, levando em conta os direitos e necessidades verdadeiros dos possíveis usuários e dos riscos envolvidos. O aplicativo pode até ser útil, propiciando acesso fácil entre as pessoas e os profissionais, mas daí a prometer  terapia a qualquer hora do dia pelo smartphone… há grande diferença. Quero deixar claro que não me oponho de todo ao serviço, mas convém entender bem quais sãos as vantagens, limitações, desvantagens e os riscos de se realizar psicoterapia ou outros serviços psicológicos fora de um consultório. O maior mérito do Fala Freud talvez seja o de trazer o tema para discussão e dar visibilidade à demanda por psicoterapia online.

Particularmente, sou uma entusiasta da psicoterapia online; que considero viável até mesmo no Brasil, desde que observados muitos aspectos, adotados certos cuidados e estabelecidos parâmetros que assegurem segurança à vida das pessoas, tanto dos profissionais quanto dos pacientes.  O artigo PSICOTERAPIA ONLINE: DEMANDA CRESCENTE E SUGESTÕES PARA REGULAMENTAÇÃO, escrito a partir dos dados coletados em uma pesquisa prática e em ampla revisão literária, é uma pequena colaboração nos esforços para se entender melhor essa vertente de trabalho psicológico surgida graças à disseminação da internet. A expectativa é a de que o tema continue a ser abordado em novas pesquisas acadêmicas, de mestrado ou de doutorado, de forma a que obtenhamos  informações suficientes para nortear a regulamente o serviço no Brasil.

eu-no-congresso-de-bh-2015

Painel para apresentar minha pesquisa na Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Psicologia, na UFMG, em 2015

Sobre psicoterapia online

Psicoterapia é a aplicação sistemática de técnicas e métodos psicológicos para promover a saúde mental e propiciar ao indivíduo condições para o enfrentamento de conflitos e/ou transtornos psíquicos, conforme especifica a Resolução nº 010/00 do Conselho Federal de Psicologia (CFP).  Destaca-se aqui a característica de processo sistemático para diferenciar de atendimentos e/ou intervenções eventuais, como orientações ou aconselhamentos pontuais.  A psicoterapia, quando realizada por meio da internet, é chamada de psicoterapia online ou e-terapia.

No Brasil, a psicoterapia online ainda é vedada, podendo ser realizada apenas em caráter experimental, submetendo-se a condições estabelecidas pela Resolução 011/12 do CFP. Entre as restrições está a exigência de submissão à aprovação do Comitê de Ética em Pesquisas, vinculado ao Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde. Outras condições a serem observadas: respeito à ética profissional dos psicólogos e gratuidade.

Apesar de a psicoterapia online ser proibida no Brasil, a prática já é adotada em outros países, como Estados Unidos e em alguns países da Europa. Obviamente que onde o serviço é permitido, os profissionais se submetem a restrições e limitações impostas por leis, regras e regulamentações respectivas.  Para citar um exemplo, nos Estados Unidos, a autorização para um terapeuta atender pela internet restringe-se à localização geográfica do registro profissional dele, ou seja: se um terapeuta for registrado no Alabama, só poderá atender pessoas que estejam dentro de tal Estado.

Psicólogos, médicos e outros profissionais de saúde, podem atender pacientes pela internet de diferentes formas: dando orientação via chat ou emails; realizando atendimentos em grupo no formato videoconferência; conectados por intermédio de sites que propiciem possibilidade de troca de mensagens instantâneas, semelhante ao Google Talking, Orkut e Facebook; ou em atendimento online via Skype ou MSN.

No caso da Psicologia, antes de recorrer a esse caminho, é aconselhável, ou mesmo necessário, conhecer o que prevê o Conselho Federal de Psicologia, para saber o que os profissionais podem e o que não podem fazer. Por exemplo: Uma pessoa pode receber orientações psicológicas pela internet, mas só até o limite de 20 atendimentos ao todo. E mesmo dentro desse limite, o profissional precisa estar credenciado para fazê-lo, isto é, obter um selo de autorização do CFP. Esse selo é uma marca gráfica específica, que deve ser exibida no site. Sem esse selo, o responsável pelo site não pode atender pela internet, nem dando orientações, nem fazendo nenhum outro serviço psicológico intermediado pela rede de computadores. Para ler a Resolução 011/12 do CFP e conhecer as regras, condições, limites e possibilidades de serviços psicológicos mediados pela internet, clique No link a seguir: RESOLUÇÃO 011/12.

Uma compilação dos possíveis motivadores para uma pessoa recorrer ao serviço de psicoterapia online, feita a partir de várias fontes, nos leva aos seguintes casos em que esse meio de intervenção psicológica possa ser útil:

. Condição física que limite a mobilidade;

. A pessoa residir em áreas distantes dos locais onde exista atendimento

especializado;

.Condições psicológicas que restrinjam deslocamentos ou viagens, embora

curtos;

. Impedimento de comprometer-se com atendimento presencial devido a

constantes viagens;

. Mulheres grávidas ou com filhos recém-nascidos, assim como aquelas que não

têm com quem deixar a criança para ir a um consultório;

. Conflito de agendamento eventual e inesperado que impeça a presença em

consulta previamente agendada, no caso de pacientes de psicoterapia presencial

em andamento;

. Agenda de trabalho extensa que provoque falta de tempo para deslocamentos;

. Dificuldade para relatar queixas ou admitir determinados conteúdos pessoais

em relação presencial.

No entanto, ao se pensar em psicoterapia online, não se pode considerar apenas as vantagens desse tipo de procedimento. Há que se levar em conta também os casos em que deve-se colocar em dúvida se esse tipo de atendimento pode ser considerado benéfico ou seguro. Além disso, a proposta de psicoterapia online não pode ser vista como algo a ser utilizado de forma indiscriminada, tampouco como substituto dos atendimentos convencionais face a face. Há casos em que a psicoterapia online é desaconselhável, pelo menos até que se tenha mais conhecimento acerca dos resultados e das consequências dela.

Novas pesquisas estão em andamento, no Brasil e fora daqui, para que se conheça melhor as vantagens, desvantagens, possibilidades, limitações, resultados, limitações éticas e outros aspectos em torno da psicoterapia online,  que se acredita ser uma possibilidade de serviço reivindicada pelas pessoas, nas atuais contingências, considerando-se a expansão da internet em todo o mundo e no Brasil também.