.Página Principal

Não faço neve loção!

Alguns meses atrás, (mais de um ano , na verdade) aproveitando uma “janela” na agenda, desci para a sala de espera e me pus a observar os pássaros da área verde ao lado e os pacientes que estavam lá também. É uma unidade de saúde mental para crianças e adolescentes, incluindo autistas:

*Mateus, 15 anos,  caminha se arrastando, emburrado, um capuz cobre a cabeça e parte do rosto; cara amarrada. Caminha na direção do banco e despenca sobre ele; se contorce todo, como uma lesma ameaçada, e pára numa posição; só movimenta os olhos, acompanhando, algumas vezes, as pessoas que passam à frente dele.

*Lucas, 8 anos,  caminha decidido, olhar atento, na direção da horta; inquietação parece sair-lhe pelos poros. Encosta-se na cerca e põe-se a observar as plantas ao fundo e os passarinhos…  não liga pro Mateus. Não o incomoda. Mesmo assim, Mateus se incomoda, talvez com a indiferença do outro, e põe-se a observá-lo. Não se falam. Cada um no próprio mundo.  De repente, Lucas se senta à frente do Mateus, mas ainda sem olhar pra ele, a mente vagando… uma pergunta na cabeça: “por que eu gosto tanto de coisas da natureza, por que outras pessoas também gostam?”  Pergunta a si mesmo, mas fala alto o suficiente para Mateus escutar e resolver provocá-lo, se intrometendo nos pensamentos do outro.

_ Eu não gosto, disse o adolescente.

Lucas se vira para Mateus, finalmente o enxergando; estranha o agasalho com capuz do adolescente num dia ensolarado e pergunta, fugindo do assunto:

_ Você tá com frio?

Mateus não responde. Lucas volta a ignorá-lo… mas na estranha mania de pensar alto…

_ Por que as pessoas gostam de árvores?

_ Eu não gosto.

_ Gosta sim! Só não sabe que gosta… Responde Lucas, sem olhar para o adolescente.

Aquela criança pequena, por alguma razão, havia retirado o adolescente do casulo e ele passa a observar Lucas, que volta a pensar alto:

Por que as pessoas gostam de árvore?

_ Quem disse que eu gosto de árvore?!

_ Eu digo… Por que as pessoas acham flores bonitas?

_ Eu,  não.

_ Você, sim!

_ Por que as pessoas gostam de brincar na areia, pisar na grama, ouvir canto de passarinho, olhar o pôr do sol… eu não sei ainda o que essas coisas têm em comum…

_ Falsidade das pessoas… não gosto de nada disso…

_ Gosta sim, só não sabe.

Esse diálogo todo acontece sem que um olhe para o outro diretamente, mas faz surgir um risinho no rosto de Mateus…

_ Sabichão, você me conhece? Como sabe do que gosto?

_ Você é igual a todo mundo…

_ Sou nada…

_ É sim.

Nesse ponto, se restabelece o silêncio entre os dois.

Em outra ponta, duas garotinhas brincam com brinquedos já velhos, postos lá para distrair, ajudar a passar o tempo. Uma delas pergunta:

_ Da outra vez que vim aqui tinha um bate-bate azul… cadê? A outra respondeu:

_ Não faço  neve loção!

Ao som dessa frase enviesada, os dois rapazinhos se viram rápido na direção das meninas, que continuaram brincando.

Lucas põe-se a repetir baixinho:  “neve loção… neve loção… neve loção… ela quis dizer leve noção… “Ele fala pra si mesmo… mas Mateus ouve e ri…

É assim que eles se comunicam; algo meio truncado, solto, livre de padrões, mas reciprocamente influenciando; há entendimento, há comunicação, de algum tipo. Difícil é a aceitação desse funcionamento como um direito do sujeito. Comunicação singular; direito singular. Tudo em saúde mental é singular. As intervenções devem ser também, espaço para o singular.

*Os nomes são fictícios.

Uma planta singular: Ora-pro-nobis; espinhos, doçura, beleza e perfume das flores, riqueza nutricional nas folhas; a natureza é também rica em singularidade. Na imagem acima, o fruto da planta ainda verde. Na foto abaixo, as flores da planta.

Fotos: Carmelita Rodrigues

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s