Despraticando as normas na Medicina

A médica Ana Cláudia Quintana faz diferente. E faz a diferença. Ela trabalha pela Vida; em respeito à singularidade dos pacientes. Formou-se em Medicina pela USP, aprendeu o mesmo que centenas de outros médicos, mas quis contemplar um horizonte distante, o mesmo enxergado pelos psicólogos clínicos, a emoção e as consequências sobre a alma e o corpo. Para esses passos largos, fez residência médica em Geriatria e Gerontologia no Hospital das Clínicas da FMUSP e  pós graduação em Psicologia – Intervenções em Luto pelo Instituto 4 Estações de Psicologia, além de especialização em Cuidados Paliativos pelo Instituto Pallium e Universidade de Oxford.  Com essa bagagem valiosa e uma alma boa, ela vem espalhando esperança, bem-estar e conhecimento genuíno por onde passa e ao ser assistida em vídeos disseminados via internet. A abrangência do trabalho dela pode ser vista no site CASA DO CUIDAR.

Ao afirmar que “despratica” as normas da Medicina a médica não tenciona desvalorizar os saberes médicos nem a prática convencional da Medicina. Ao contrário. Ela vê o quanto a Medicina pode fazer no controle dos sintomas pelas pessoas na fase final da vida. Em minha defesa: quando posto sucessivos textos valorizando práticas médicas pouco conhecidas, não convencionais, não estou a negar o valor do trabalho dos médicos, ao contrário. Apenas me incomodam àqueles profissionais que se deixam arrastar pela “ola” da medicina da doença, da medicina medicamentosa, da medicina da indústria farmacêutica. Médico é missionário da Vida e qualquer deles que se forme e comece a trabalhara visando lucro ou status social está fadado ao fracasso, fracasso em atingir o propósito nobre da profissão. Claro que isso vale também para os psicólogos e outras categorias profissionais, principalmente as da saúde – mas não apenas.

O vídeo do link abaixo dá uma ideia da valiosa atuação da médica Ana Cláudia Quintana:

A MORTE É UM DIA QUE VALE A PENA VIVER

 

Escrevi neste blog sobre cuidados paliativos anos atrás. É só clicar nos títulos abaixo para acessar os textos.

Cinco principais arrependimentos de doentes terminais

Morte, perdas e viver o luto

Psicologia e Cuidados Paliativos

Cuidados paliativos: a morte é uma dimensão do viver

 

Orquídea

Um pé de orquídea ou uma orquídea de pé?

Abacaxi

Um abacaxi ou uma flor? Depende da singularidade do modo de olhar e da singularidade da planta!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s