Ter filhos não é pra todo mundo

Os pais e mães incompetentes que me perdoem, mas isso é uma grande verdade. Vejam:

“A infância determina a vida de todos nós. Ela é fundamental para a existência humana. Na esfera psíquica, os primeiros dois anos significam a base da construção de uma personalidade saudável. A violência, a agressividade, a falta de ética, a amoralidade dos tempos modernos não são apenas fruto de dificuldades econômicas e sociais, mas da falta de amor, educação, limites.”

“Não é dando dois beijinhos pela manhã antes de ir para a creche, ou colocando a criança para dormir à noite, que será possível transmitir segurança, afeto e tranquilidade. Escuto muito a seguinte frase: “Doutor, o que interessa é a qualidade do tempo junto e não a quantidade”. Duvido. Diga ao seu chefe que você vai trabalhar apenas meia hora por dia, mas com muita qualidade. Certamente ele não vai gostar. Seu filho também não. ”

Vale muito a pena ler a análise de José Martins Filho, médico pediatra, autor do livro A Criança Terceirizada. LEIA MAIS

Escrevi anteriormente algo nessa mesma linha de pensamento no post A IRREVERSIBILIDADE DA MATERNIDADE.

Anúncios

Um comentário sobre “Ter filhos não é pra todo mundo

  1. Boa noite Dr.
    Tenho quarenta e um anos, sou mãe em tempo integral de um lindo menino de 8 anos e me esforço para ser o oposto do que conheci como mãe. Mas, muitas vezes me sinto como se não conseguisse “crescer”. Confusa sobre quem me ama, porque me ama e o que é amar. Às vezes, tudo fica bem, mas há momentos, como os que estou vivendo atualmente, nos quais devo cuidar de quem nunca tive um carinho, abraço ou uma faísca de afetividade… somente frieza e indiferença, aí tenho que buscar em Deus equilíbrio, ponderar e discernir o que está a minha volta para conseguir manter os pés no chão. Odeio mães que não amam… Elas enchem o mundo de superfluidade e infelicidade. Faço para meu filho a comida que ele gosta, visto-o com roupas legais, ajudo-o nas suas tarefas, almoçamos conversando, rimos, abraçamos e beijamos… E tudo o que é oposto a isso também… Eu o amo e não entendo (nem quero) como alguem pode nao amar. Somos felizes, mas… eu nunca tive mãe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s