Ainda sobre separações

O que dói mais nas separações? O projeto de família frustrado ou interrompido? A sensação de ter (supostamente) fracassado? O sentimento de perda? As cobranças externas? A solidão? O fim de semana sem a costumeira companhia? Ou tudo isso junto e muito mais? Qual é o antídoto? Penso que não existe. Mas a gente aprende uma coisa importante dentre muitas: nada é para sempre. Com as separações, as despedidas, as mudanças involuntárias, as inesperadas perdas aprendemos que nada é para sempre,  apesar das promessas de infinitude, de eternidade;  a vida não permite que nada dure para sempre: sem mudanças não há crescimento. Separações são como topadas de grande dimensão, que podem causar muitos estragos ou muitos avanços, mudanças construtivas. Ninguém deseja separar-se do ser amado, mas a vida também não nos quer separados de nós mesmos. Avante! “Tudo passa sobre a Terra”.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s