Transgressões frugais

No Facebook expressei minha apreciação por um poema de Mário Benedetti de título Transgressões. Mas desejo, aqui, esclarecer que a transgressão é caminho de crescimento, de evolução do ser, mas não em qualquer das suas manifestações. Entendo que existem variados tipos de transgressões. Há a transgressão ingênua, a irresponsável, a rebelde e a sábia. Aprecio a última.

A transgressão ingênua é o comportamento infantil e quase primitivo dos ignorantes. Eles transgridem por nada saberem; por desconhecerem as regras. Ou por terem uma compreensão limitada do alcance dos seus atos. Como um adolescente mal informado que aceita o cigarro de maconha do vendedor. Por ingenuidade, por nada sabe sobre os malefícios das drogas, o risco de dependência e, desconhecendo até que seja algo proibido, ele experimenta. Desnecessário comentar as conseqüências. Outro dia ouvi uma mulher simplória, pessoa de bem, mas ignorante, afirmando que queria plantar semente de maconha “só pra ver como é as folhas (sic)”, ela disse. Assustada, gastei alguns minutos explicando que ela poderia ser presa se fizesse isso e a polícia visse a plantinha na casa dela. Essa mulher  quase transgrediu por ingenuidade. Esse tipo de transgressão instrui, ensina “na marra”.

A transgressão irresponsável é a cometida por pessoas que não se importam com as conseqüências dos próprios atos, seja na própria vida ou na alheia. Motoristas abusados, gente que bebe além da conta, ladrões, corruptos… essa turma sabe que está errando, mas não se importa. É aquele tipo de gente que pára o carro “trancando” os outros ou estaciona sobre a calçada, na mais amena das possibilidades. São uns tolos. Pouco ou nada crescem  com suas transgressões, exceto se são punidos de forma exemplar e em vez de se revoltarem, compreendem que estão colhendo da própria semeadura.

Há os transgressores rebeldes: nada têm de ingênuos, são também irresponsáveis, mas também raivosos,  inconformados. E não raro, têm maldade e agressividade dentro de si. Vivem reivindicando o que não lhes pertence por direito. Sentem-se, equivocadamente, usurpados e “protestam” contra a suposta injustiça, transgredindo, sendo agressivos por atos, palavras e omissões. São chatos; são inconvenientes, são cansativos, às vezes cruéis, e caminham para trás. São, por exemplo, os pichadores, os traficantes de drogas, os fofoqueiros, os agentes públicos corruptos, os abusadores sexuais, agressores de mulheres, os criminosos de modo quase geral. Em alguns casos trata-se de desvio de caráter  grave, doença da alma.

Os transgressores sábios não fazem mal aos outros nem a si próprios. Agem  avaliando e medindo muito bem as conseqüências porque são conscientes das regras, das imposições exigidas, mas compreendem que elas generalizam e que podendo ser contrariadas em circunstâncias específicas. Conhecem o preço da ação e pagam pela transgressão,  aprendendo com a experiência. Esse tipo de transgressão engloba as ações de pessoas livres e aptas para escolher o próprio caminho, para traçar trajetórias muito individuais. É uma transgressão que também tem preço, claro, mas as consequências quase sempre recaem sobre o próprio autor e redundam em desenvolvimento porque o ato suscita a reflexão. “Obedecer cegamente deixa cego”, diz o poema de Benedetti. “Todo mandato é minucioso e cruel”, acrescenta o poeta, querendo dizer, suponho eu, que a regra não leva em conta subjetividades.

Assim, entendo que transgredir é preciso, às vezes, mas sempre há que se avaliar no que vai resultar a transgressão e se a finalidade é construtiva. Acrescento que, como o poeta diz,  saudáveis são as trangressões frugais, isto é, moderadas, simples.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s