Sobre depressão

As teorias psicodinâmicas acerca do funcionamento psíquico nos casos de depressão pressupõem que existe um jogo de forças psíquicas em que algum aspecto da experiência ou da relação da pessoa com o mundo é rejeitado. Ou seja: situações críticas e intensamente emocionais podem desencadear processos depressivos em função de algo reprimido ou recalcado. Um exemplo concreto: nos casos de depressão pós-parto, quase sempre havia um conteúdo interno que escondia ou controlava a depressão. Então, exposta a uma experiência impactante (a de se perceber mãe ou se deparar com um ser frágil e dependente que saiu de dentro de si), essa estrutura se desorganiza e o processo depressivo eclode na mulher. Tentar resolver esse e outros tipos de depressão apenas com remédios ou com livros de autoajuda é como querer impedir o rompimento de uma represa tapando o buraco aberto com a mão: não demora e tudo vai por água abaixo.  Casos de pânico têm dinâmica semelhante: determinados eventos funcionam como “gatilho” para o início do transtorno. A boa notícia é que nos dois casos o bom funcionamento do psiquismo pode ser recuperado e a pessoa pode voltar a ter vida normal.

a mulher

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s