Usar drogas é covardia frente à Vida

“A humanidade trocou os valores de amor e verdade pela frivolidade e prazer imediato, Ângelis (1994). Assistimos e lamentamos a difusão de drogas alucinógenas entre crianças, jovens e adultos. Constatamos que infelizmente o êxito das conquistas tecnológicas não conseguiu preencher as lacunas da existência humana. O homem moderno ficou deslumbrado com a comodidade e o prazer, ficou acostumado às sensações fortes dos sentidos e tem dificuldade de voltar-se para dentro de si e encontrar a plenitude íntima e a realização transcendente.

Afirma o psiquiatra André Gaiarsa, no livro Família e Espiritismo, (Carvalho, 1994): “a droga é a saída dos que não tem saída”, é como se, num quarto  fechado, a pessoa pintasse uma paisagem e fingisse ser uma janela. A ilusão da droga é assim, finge que está tudo maravilhoso. O uso de drogas pode ser um fato passageiro na vida dos jovens e, muitas vezes, não vai além da experimentação porque percebe que a droga não tem muito a ver consigo mesmo, opta por outras formas de se obter prazer na vida. Em  outros casos, o consumo de drogas tende a se intensificar,levando o adolescente a desenvolver uma forte dependência do produto. Quando isso acontece, revela-se pessoa insatisfeita consigo mesma, com a vida em geral, com as relações familiares e sociais. A droga entra na vida do jovem como uma possibilidade de fuga das dificuldades internas e objetivas, o que fará com que consuma cada vez mais.

No entanto, o uso de droga causa uma satisfação ilusória e passageira, pois o prazer que a droga oferece (depois de alguns anos) tende a desaparecer, dando lugar a sensações desprazerosas e, conseqüentemente, ao sofrimento. O jovem então a utilizará não por causa do prazer, mas porque precisa evitar o desprazer de ficar sem ela.

Deixa de ser um usuário recreativo e intensifica seu vínculo de dependência (passa a usar a droga como muleta).

O usuário recreativo, por sua vez, pode parar de consumir, desde que passe por uma abordagem construtiva (uma intervenção familiar e/ou profissional) que lhe mostre os perigos da tolerância e dependência e permita-lhe investigar o que está por “trás” desta forma de obter prazer, tendo em vista sua dimensão espiritual (qual sua tarefa nesta encarnação, para que veio aqui?) e suas carências afetivas.”

O trecho acima é do livro PREVENÇÃO DE DROGAS, de Rosa Maria Silvestre. O livro inteiro pode ser baixado no link A PREVENÇÃO DE DROGAS.

Eu o encontrei pesquisando sobre o assunto para obter eficiência no atendimento a um jovem de 33 anos que me procurou em uma casa assistencialista. O caso dele e de outros que já atendi em consultório me deixam convencida: o uso de drogas é prejudicial, faz mal à vida das pessoas. E me refiro às drogas ilícitas e as legalizadas, como o tabaco e o álcool. Todas são caminho contrário ao crescimento da pessoa como ser pleno, no sentido material e espiritual. Eu disse certa vez a um de meus pacientes, que ao iniciar psicoterapia era consumidor de ayahuasca (mas já havia consumido por um bom tempo maconha e cocaína): “você não precisa de ayuasca, maconha nem coisa alguma para atingir seus objetivos, inclusive o de estar bem consigo mesmo, sabe por que? Por que todos nascemos com o kit completo para nossos respectivos propósitos de vida.” Sim, vimos a este mundo material trazendo conosco tudo de que precisamos para nossa caminhada evolutiva. E mesmo quando nos faltam olhos ou membros, as partes inteiras do corpo que temos são tudo de que precisamos para o nosso desafio.

O tema drogas é sempre muito contundente e causa reações apaixonadas e às vezes até violentas por parte de quem usa e não dá conta de questionar a possibilidade de excluí-las de sua vida. Ao contrário, estão sempre buscando subterfúgios, justificativas e defesas mil para convencer-se de que “tudo bem usar drogas” ou “maconha não faz mal”. Nos comentários do post anterior um leitor chegou a me xingar de “besta”. Acho que no sentido de idiota. Não publiquei, considerei agressividade gratuita.

Por que os usuários de drogas não suportam ouvir ou ler que drogas faz mal? Vem sempre com veementes protestos e pedido de que se explique minuciosamente e com argumentos científicos qual é a base da afirmação de que drogas faz mal. Mas sabem o que é pior? Eles não se dispõem nem a ouvir nem a ler as explicações. E ficam as palavras ao vento. Raramente explico; porque na maioria dos casos trata-se de pessoas com capacidade para autodidatismo. Apenas não têm a coragem de se deparar com as verdades expostas no início deste texto, as  quais reproduzo abaixo com ampliações das idéias:

  1. Usuários de drogas  têm dentro de si um vazio que tentam preencher com as drogas. Ou simplesmente usam-nas para fugir do desafio de descobrir que vazio é esse e como verdadeiramente preenchê-lo. Não digo que não existam pessoas não usuárias de drogas que também não tenham esse vazio. Muito ao contrário: a maioria das pessoas o tem. Mas não recorrem a uma estratégia autodestrutiva para preenche-lo.
  2. O uso de drogas é autodestrutivo. Se você usa drogas, pergunte-se porque ataca seu corpo, porque danifica paulatinamente a máquina maravilhosa que é veículo de sua vida? Muitos não conseguirão responder, principalmente quando o motivo for inconsciente.
  3. Muitos usuários de droga precisam na verdade é de psicoterapia para  conhecerem a si mesmos, se depararem com suas limitações, seus defeitos, mas também com suas virtudes.
  4. A vida é pra valer, com seus prazeres e sofrimentos. A fuga da realidade é estratégia que nunca funciona nem mesmo para as crianças, quiçá para nós adultos.
  5. O grande “barato” da vida é a própria vida e o ser capaz de vencer os obstáculos, desafios, desajustes, as desadaptações, contrariedades, frustrações e quaisquer outros aspectos considerados aversivos A SECO, sem drogas, lícitas ou não. O prazer a cada conquista nessas circunstâncias é infinitamente maior. E nos faz entrar em contato com nosso eu real, nossas reais possibilidades e impossibilidades.

Aos usuários que tanto defendem que as drogas são inócuas, e me refiro aqui apenas às pessoas responsáveis, bem-informadas , sensatas e relativamente equilibradas, eu desafio com uma pergunta? VOCÊ ENSINARIA SUA FILHA AMADA OU SEU FILHO QUERIDO A CONSUMIR MACONHA OU A CHEIRAR COCAÍNA?  Não!? Por que não?! Se não é bom pra eles, é bom pra você? Há nisso uma contradição, um paradoxo do qual você foge de analisar? Quem respondeu “não”, percebe que há também, no ato de consumir drogas, uma ação inconsciente de autodestruição?  Por que não tenta descobrir a origem disso? Coragem! Não será fácil nem rápido e talvez nem mesmo barato (psicoterapias têm um custo). Mas é necessário.

Tá achando esse papo careta? O que é mais antigo e mais “careta” do que a covardia humana? Melhor ser careta e corajosa (o), ter saúde e respeito pela vida, descobrindo o caminho de SER em plenitude do que os “modernismos” de fuga da realidade e desperdício da Vida.

Meu paciente citado acima desafiou-se a se libertar. Ele queria experimentar ser livre. A verdadeira liverdade. A de sentir-se no conntrole da própria vida. Então, após alguns meses de psicoterapia,  ele desligou-se da “igreja” onde consumia ayahuasca, continuou abstendo-se de drogas lícitas e ilícitas, mudou paradigmas, modificou hábitos e gostou muito dos resultados. Algum tempo depois ele pediu para interromper também a terapia. Disse que queria testar se conseguiria caminhar com as próprias pernas. Achei fantástico e claro que lhe dei alta. Embora ainda houvesse complexos a esvaziar, no caso dele, dei-lhe alta porque o processo terapêutico deve ser encerrado quando a queixa desaparece. E ele já estava sem as queixas que o levaram ao meu consultório (a queixa dele não era uso de drogas, mas desestruturação do ego, inadequação ao mundo, depressão e dificuldade de relacionamento). Claro está que meu dever ético era o de apoiar a iniciativa de crescimento e independência dele, percebendo que ele estava apto para tal esforço.

Já se passaram vários meses e ele não voltou, o que suponho ser em razão de ele estar muito bem, já que deixei a porta escancarada para que  voltasse, se precisasse. Deixa-me feliz imaginar que ele não precisa. Nem de drogas e agora nem mesmo de psicoterapia para sentir-se livre e pleno consigo mesmo.

Anúncios

12 comentários sobre “Usar drogas é covardia frente à Vida

  1. Eu gostaria de dizer o seguinte: Você escreve muito bem.

    Me diz uma coisa há quanto tempo a “Droga” existe ?

    De geração a geração as drogas vão se modernizando, sempre existiu, sempre vai existir e sempre terá usuarios.

    Quer dizer que você não toma rémedio?
    Sentiu aquela dorzinha de cabeça que rola todo mês e não toma rémedio?

    Mas aonde quero chegar com essa dorzinha de cabeça? Talvez enquanto sua dor seja na cabeça têm outros que sentem o mesmo na perna e precisam tomar “morfina”, e ficam dependentes disso, não por escolha mas por necessidade.

    Você provavelmente é/ou tavelz será uma pessoa de influência, por que tanto insiste em acabar com as drogas sendo que isso nunca vai acontecer? Você já pensou se você conseguir acabar com a “Maconha” “LSD” sei lá o que mais, vai sempre existe algo tipo “Tiner”, e pensando bem a possibilidade de tiner parar de ser vendido é quase nula, teriamos que acabar com o mundo capitalista ou algo do tipo.

    Eu acho que a pessoa que te chamou de “besta” no “post” passado te deixou meio abalada e você citou isso no texto -> “Aos usuários que tanto defendem que as drogas são inócuas, e me refiro aqui apenas às pessoas responsáveis, bem-informadas , sensatas e relativamente equilibradas, eu desafio com uma pergunta?” há um problema, usando sua lógica da sua resposta para a mesma pergunta.
    Nem você mesma teem direito de responder a tal. Porque você não é uma pessoa bem informada, sefosse saberia que a “maconha” é usada pra vários tipos de tratamento.

    Maconha vs algum rémedio que você sabe o nome que faz o “yin e yang”, porque não citas eles? porque há rémedios que causa dependencias, todos nos sabemos disso. Talvez você não seja pró rémedios mas mesmo assim ainda existirão.

    Provavelmente esse texo é para os viciados,porque não há condições para isso…

    Por experiencia eu lhe digo -> “There’s more than one way to do it (Perl)”

    E espero que estaja aberta pra criticas.

  2. Rafael, sou inteiramente aberta a críticas sim e nem por segundos me considero dona da verdade. Você pode defender as drogas o quanto quiser, é direito seu, tanto de defender quanto de usar e ninguém pode me acusar de desrespeitar esse direito das pessoas nem de desrespeitar os usuários de drogas. Não nego o direito das pessoas de escolherem o caminho das drogas, apenas afirmo que esse não é o caminho que conduz à vida plena e saudável e seus argumentos não me fazem pensar diferente. Usar drogas são um caminho que afastam da vida, que enfraquecem a pessoa na luta pelo crescimento como pessoa em evolução. Na verdade, permita-me a franqueza, sua defesa é inteiramente falaciosa. Eu não quero acabar com as drogas porque isso seria trabalho se Sísifo (rolar inutilmente uma pedra até o topo do morro, ver a pedra descer e ter que rolar a mesma pedra novamente até o topo do morro eternamente, como no mito grego que expressa trabalho improdutivo e infinito). Sempre haverá usuários porque há gente lucrando com o vício das outras. Agora, você está enganado: eu sou muito bem informada sobre drogas e estou certa de que você entende muito bem de qual tipo de drogas me refiro (cigarros de maconha; cocaína – em pó, pasta ou crack -; LSD, cloreto de etila, o lança perfume; álcool; tabaco, etc). Refiro-me às drogas usadas inicialmente como diversão ou fuga, não as necessárias para controle da dor e ingeridas em contexto terapêutico ou médico. Sei que você entendeu isso. Mas você não respondeu à pergunta “você ensinaria seu filho amado ou sua filha querida a usar drogras”. Se vc tiver filhos e os amar, certamente não fará isso porque não quer correr o risco de causa sofrimento a eles. E vc sabe q algumas pessoas até conseguem dar uma fumadinha eventualmente, até uma cheiradinha – uma vez na vida e outra na morte – e ficar só nisso por entender que não precisa estar “fora do mundo”, fora da realidade, para lidar com e suportar a vida. Mas sabe também que há outras que, uma vez que experimentam, jamais abandonam e algumas perdem o senso de medida completamente.

    Concordo quando você diz que algumas pessoas sentem amis do que uma dorzinha de cabeça e precisam de alívio. Sim, algumas sentem uma DOR PROFUNDA NA ALMA. Mas acredite, usar drogas não vai eliminar essa dor. Porque a dor da alma é cobrança do ego e do superego e de algo mais interno pedindo à pessoa que realize seu propósito de vida. Aqueles que recorrem à droga para fugir dessa dor na alma, agravam o problema.

    Rafael, as pessoas têm motivos diferentes para terem começado e continuado a usar drogas. As histórias de vida são diferentes, a constituição orgânica e de espírito delas são diferentes. Entendo isso, mas em vez de defender o uso das drogas na tentativa vã de legitimizar uma “escolha de caminho”, deveriam se ocupar em entender porque elas entraram nesse caminho, o que esperavam encontrar, quais foram as respostas ou resulado disso, quais os aspectos bons e os ruins. E verdadeiramente se preocupar com a saúde, a física, a emocional, a psicológica e a espiritual.

    Não tento convencê-lo a parar de usar drogas, se vc usa, de forma alguma. Ninguém, além de você mesmo, pode conseguir isso porque depende de vontade, da sua vontade, surgida de demandas internas muito suas. E tb não quero que deixe de defender as drogas, apenas sugiro que você o faça de modo mais convincente, com argumentos mais concretos e razoáveis.
    De resto, obrigada pela visita ao blog. Desejo que você seja uma pessoa verdadeirametne livre. No momento ou em algum dia.
    Carmelita

  3. Eu vejo que não gostou do que eu postei, você provavelmente têm um “Superego”, é meio deficil de mudar sua idéia, mas quem disse que eu quero fazer isso?

    Mas o mais interessante foi que você citou o que eu queria te dizer -> “Rafael, as pessoas têm motivos diferentes para terem come�ado e continuado a usar drogas. As histórias de vida são diferentes, a constitui��o org�nica e de esp�rito delas s�o diferentes. Entendo isso”

    Por que não dá enfase nos pontos que levam as pessoas a fazerem a tal coisa…

    Vamos pensar em um exeplo, curto.
    “AIDS” -> faz mal.
    Prevenção -> “use camisinha”
    Como chegou na prevenção? porque sabe mais ou menos como a coisa funciona.

    Eu acho que não exite uma lei que diga -> “Não faça sexo com uma pessoa portadora do virus” ou algo do tipo.

    Se você pensar nas drogas pode ser a mesma coisa, o que leva uma pessoa a usar drogas ?
    foram os pais ? ->”Seja presente na vida dos seus filhos, senão quer que seus filhos usem drogas não use drogas”
    Foi a depressão ? -> ” Não tenha espectativa de vida, porque quando você descubrir que tal coisa não existe você vai ter uma depressão vai querer usar drogas…”

    Isso que eu falei, só foi um exemplo, eu não sei o que levar uma pessoa a usar droga. Quando eu terminei o meu post eu falei
    “There’s more than one way to do it (Perl)”
    Ixiste várias maneiras de fazer a mesma coisa.
    Talvez não seja a mais fácil, mas quem sabe a mais e eficaz ?

    Sua pergunta que eu ainda não respondi?, você sabe que a resposta é não.

    “Desejo que voc� seja uma pessoa verdadeirametne livre. No momento eou em algum dia.” Tenho alguns vicios, mas não em drogas se o que queria saber, mais livro do que eu sou, só morto \o/.

  4. Nunca li uma discussão tão antiga com relação ao uso de drogas quanto essa aqui. E “moça” chamou o rapaz de drogado só porq ele não concorda com vc? Sinceramente… Vai me chamar também? Seus argumentos são antigos bonita, não ajudam mais…
    Beijinhos.

  5. Oi eu tenho um trabalho para fazer sobre drogas, eu sei tem muita coisa para falar, mais eu gostaria de algumas idéias suas, pq eu achei bem interessante o seu ponto de vista!Se puder me ajuda !!
    bjos

  6. drogas é um assunto mto polemico msm e sempre será… ninguem sabe o q realmente leva uma pessoa a ser usuario ou dependente dela… pessoas que ja passaram por este problema tem lá seus motivos mas cada um é cada um… acho que um debate num vai levar ninguem a lugar nenhum, pq opinião cada um tem a sua seja la como a tenha formado mas apenas se deve respeitar…

  7. Olá! Parabéns pelo seu texto!
    Sou educador e fiz um desafio aos meus alunos: os desafiei a encontrar um motivo para usar drogas que não fosse a covardia.
    Até agora não conseguiram.
    Se o sujeito “toma umas” pra criar “coragem” de chegar nas minas na balada, é por covardia que bebeu.
    Se fuma “umzinho” pra esquecer os problemas de casa, é por medo de enfrentá-los.
    Se cheira uma “carreira” na festa porque todo mundo tá cheirando, é por medo de ser rejeitado, ou seja, começa cheirando por covardia.
    Ninguém, com um mínimo de inteligência, acredita que a droga em si (erva, pó, pedra, tiner)é o problema. Seria o mesmo que querer acabar com as guerras parando a produção de pólvora.
    A raiz do problema é o motivo que leva as pessoas a consumirem algo que lhes faz mal.
    Só existe uma coisa em comum entre todas as pessoas que experimentam drogas: são covardes: covardes pra dizer não, covardes pra enfrentar as dificuldades, covardes pra buscar ajuda.
    E só existe uma coisa em comum entre todos os viciados: todos começaram experimentando.
    Todos os que usam estão doentes e precisam de atendimento médico. Acredito que drogas são um caso de saúde pública, necessitando principalmente de psicólogos e psiquiatras capacitados para enfrentar este problema.
    Parabéns por salvar vidas enquanto outros tentam roubá-las.

    Ricardo Palitot
    Educador Físico
    Uberlândia – MG

  8. Obrigada, Ricardo, pela sua apreciação construtiva. E parabéns pela iniciativa com seus alunos. É um modo criativo e motivador de educar. Enxergo muitos méritos no seu método: as crianças (ou jovens) se manterão longe das drogas pela compreensão intelectual e racional e, por força do afeto que têm por você, ainda lhe terão como referencial positivo de pessoa que se opõe ao consumo de drogas. A rejeição às drogas não lhes é imposta “goela a baixo” : você os conduz à reflexão, os faz procurar dentro deles mesmos as respostas que servirão como guia ou fonte de convicção. Achei perfeito! Um abraço.

  9. DOUTORA UM,A VEZ ADICTO SEMPRE ADICTO QUEM TEM ESTA DOENÇA PRECISA SE ALTO POLICIAR PARA SEMPRE O ADICTO TEM QUE EVITAR PESSOAS LUGARES E COISAS DA ATIVA ACONSELHE SEU PACIENTE A PROCURAR UM GRUPO DE APOIO POIS O ADICTO E LAMPADA QUE QUEIMA FÁCIL . SEM UM PROCESSO DE RECUPERAÇÃO PERMANENTE ELE PODE CAIR NA RACIONALIZAÇÃO FECHAR A MENTE E RECAIR NÃO DESEJO ISSO E SÓ UM CONCELHO CONHEÇO GENTE DE 25 30 ANOS LIMPO QUE VAI A REUNIÕES PARA NUNCA SE ESQUECER DE QUEM ERAM E DO QUEM SÃO HOJE . O CONSTANTE CONTATO COM PESSOAS EM RECUPERAÇÃO É O VERDADEIRO ALICERCE PARA O AFASTAMENTO TOTAL DAS DROGAS . O PIOR INIMIGO DO ADICTO É O ADICTO SOZINHO !!!!!! A CURA NÃO E SÓ A RETIRADA DA SUBSTANCIA POIS A INABILIDADE DE LIDAR COM SENTIMENTOS E EMOÇÕES PERSISTE .O ADICTO NÃO APRENDE A LIDAR COM A DOENÇA EM POUCOS ANOS DE TRATAMENTO ENTENDA A NATUREZA DA RECUPERAÇÃO . NÃO A CAUSA DA DOENÇA !.

  10. RECAÍDA PARA UM ADICTO É MUITO DIFÍCIL A DOR A VERGONHA VC NÃO TEM A DOENÇA NAO SABE OQ ESSA FORÇA É CAPAZ DE FAZER DE ENGANAR A MENTE DA PESSOA SE FRENTE A OUTRO ADICTO E DIFÍCIL ADMITIR UMA RECAÍDA . IMAGINA FRENTE A UM PROFISSIONAL DA MEDICINA . SE ELE RECAIR SERA DIFÍCIL TE PROCURAR. NÃO DESMEREÇO O TRABALHO DA MEDICINA MAIS A EXPERIÊNCIA E A AJUDA GRATUITA E ALTRUÍSTA DE UM ADICTO EM RECUPERAÇÃO A OUTRO ADICTO NÃO CUSTA NADA É PRA SEMPRE E FUNCIONA. SÓ QUERO ALERTAR QUE UMA INDICAÇÃO SUA A UM PACIENTE PARA PROCURAR UM GRUPO PODE SALVAR A VIDA DELE!
    A RECUPERAÇÃO SE TRANSFORMA EM AGRADECIMENTO E ESSE AGRADECIMENTO SE TRANSFORMA EM CARIDADE E AJUDA AO ADICTO QUE AINDA SOFRE!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s