TDAH: uma técnica usada com criança

No ano passado (2009) eu precisei de uma história infantil que expressasse para meu paciente de 6 anos de idade a idéia de ansiedade e que mostrasse o quanto ele perdia deixando de aproveitar as boas coisas do presente para viver sempre se projetando no futuro.Erro comumente cometido por muitos adultos também. Em resumo, a ansiedade de meu pequeno guerreiro roubava a felicidade dele porque ele estava sempre querendo passar correndo para a próxima coisa. Perambulei por livrarias e busquei algo já pronto, mas não encontrei. Então resolvi mobilizar minhas habilidades em redação e arrisquei eu mesma escrever uma história, sem ter a pretensão de ser escritora, claro. Aproveitei para introduzir na história elementos significativos para meu pequeno paciente, que adorava lutas, mistérios, guerreiros e cavernas. O resultado é o que se segue e devo adiantar-lhes que a técnica foi bem eficiente. Pedi à mãe dele que lesse um pedaço da história a cada noite. Queria desenvolver/treinar domínio dele sobre a própria ansiedade, começando por ter que esperar até o dia seguinte para saber como a história continuava. Depois pedia a ele que me contasse a história no consultório. Foi maravilhoso perceber que ele memorizava os nomes dos personagens, se identificava com um deles (meu propósito) e entendia muito bem a mensagem da leitura. Ele é realmente uma criança especial e me ensinou muito. Foi levado ao meu consultório com diagnóstico psiquiátrico de TDAH. Como a mãe não queria que ele tomasse Ritalina, decidiu colocá-lo em terapia. Decisão acertada porque o garoto evoluiu muito bem e livrou-se do sofrimento de sentir-se menosprezado, errado, inadequado, imprestável, não apenas na escola, mas também em todos os espaços. Ele estava  com baixa autoestima e a um passo de sofrer  depressão infantil. Na verdade, não se tratava de um caso típico de TDAH, mas sim de uma criança  acima da média em inteligência que estava sendo submetida a profundo sofrimento devido ao despreparo de profissionais da escola e até dos pais, embora fossem muito amorosos com ele. Em muitos casos não basta amar. Foi esse mesmo paciente que me fez enxergar a semelhança entre o processo terapêutico e a letra da música da Vanessa da Mata, que você pode ouvir clicando no link MINHA HERANÇA UMA FLOR.

Voltando à história, o texto completo está postado na página HISTÓRIAS e o título é A Gruta dos Guerreiros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s