A força dos mitos

Por trás de histórias como a do jovem Édipo, que se relacionou sexualmente com a própria mãe, ou de um certo Homem que morreu para salvar a humanidade estão “forças” por vezes incontroláveis que dominam nossos comportamento: os mitos e suas forças arquetípicas. Qual é a explicação de Carl Jung, o teórico da Psicologia Analítica, sobre essas influências e como essas “metáforas” podem ser usadas com finalidades terapeuticas? Para Jung, a arte e a religião são importantes expressões da psique e podem ser instrumentos de “cura” na medida em que podem propiciar ao indivíduo condições de “contato” e compreensão de seus próprios símbolos. Em A Força dos mitos, na página ARTIGOS deste blog, você pode ler uma introdução acerca da relação entre psicologia e mitologia.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s