Livro da editora Summus mostra a importância da psico-oncologia no tratamento de pacientes com câncer. O tema é abordado por meio de três diferentes referenciais teóricos: psicanalítico, fenomenológico e sistêmico. Além disso, apresenta trabalhos realizados com crianças e adultos com câncer, familiares e profissionais de saúde. Destinado a psico-oncologistas, estudantes, pesquisadores e profissionais de saúde.

A psico-oncologia é uma área ampla e multidisciplinar que ainda impõe crescentes desafios a pesquisadores, profissionais de saúde e organizadores de serviços hospitalares. Partindo dessa premissa, o livro Psico-oncologia – Caminhos e perspectivas (288 p., R$ 59,90), lançamento da Summus Editorial, organizado pela psicóloga Carmem Maria Bueno Neme, apresenta a experiência prática dos autores e discute resultados de pesquisas de ponta. A obra oferece estudos e relatos de experiências desenvolvidas em hospitais, apontando uma diversidade de métodos, técnicas e aportes teóricos que refletem diferentes práticas e estilos dos profissionais e demonstra o crescimento e a riqueza da psico- oncologia. “Atualmente, ela pode ser vista como uma área sólida e consistentemente estabelecida, embora ainda aberta a futuros desenvolvimentos na pesquisa, na prática e na realização de serviços”, complementa a organizadora.

A psico-oncologia surgiu da necessidade de oferecer ao paciente com câncer um modelo de atenção integral – biopsicossocial – capaz de melhorar sua qualidade de vida, aumentar sua sobrevida e as possibilidades de reversão da doença, fortalecer seus recursos e modos de enfrentamento da doença e dos tratamentos, além de atender também às necessidades dos familiares e dos profissionais de saúde envolvidos. Segundo a organizadora, a especialidade representa hoje ampla área de estudos e de atuação profissional. Entre os objetivos, diz ela, estão à prevenção do câncer, o tratamento e a assistência integral ao paciente oncológico e os seus familiares, a formação de profissionais de saúde e a realização de pesquisas que possibilitem a sistematização dos conhecimentos produzidos e conduzam a novas informações.

Organizado em três grandes temas, dividido em oito capítulos, o livro é uma referência essencial para profissionais e estudantes de medicina, psicologia, serviço social e enfermagem. Em linguagem acessível, os autores abordam questões atuais e relevantes na psico-oncologia, com aspectos inéditos em três perspectivas teóricas: psicossomática psicanalista, fenomenologia e sistêmica. “Profissionais e pesquisadores que vêm construindo a psico-oncologia no Brasil e no mundo apontam diferentes aspectos que permeiam a trajetória de todos os envolvidos, desde o diagnóstico até o controle da doença ou sua terminalidade”, afirma a psicóloga.

Ao longo da obra, os autores apresentam o relato completo de um serviço de psico-oncologia criado e desenvolvido em um hospital de Bauru, interior de São Paulo, retratando procedimentos práticos dos profissionais.  Eles mostram também trabalhos realizados com crianças, envolvendo mães e familiares, com mulheres, relacionado à conjugalidade, e com profissionais de saúde. A obra inclui ainda dois capítulos voltados à avaliação psicológica e o histórico da psico-oncologia no Brasil, destacando caminhos, resultados e desafios da prática.

Resultado de um projeto iniciado há dezesseis anos, o livro traz importantes diferenciais em relação a outras obras publicadas sobre o tema. Os autores registram iniciativas como a atuação do psicólogo hospitalar com doenças na infância, estudos clínicos de casos sobre mulheres com câncer de mama, de útero e de ovários, câncer infantil e os significados da doença para a família, vivências de mães de crianças com câncer quando morrem companheiros de tratamento e o contato com a morte de pacientes no serviço de oncologia hospitalar, entre outras questões.

Texto: resenha da editora Summus (para quê refazer o que está bem feito?)

About these ads